Yordanov, M., Dimitrova, P., Patkar, S., Saso, L., Ivanovska, N.
"Inhibition of Candida albicans extracellular enzyme activity by selected natural substances and their application in Candida infection"
Canadian Journal of Microbiology, 54 (6), pp. 435-440. (2008)

Resumo

As enzimas extracelulares secretadas por Candida albicans são reivindicadas como fatores de virulência responsáveis pela penetração do fungo nas células hospedeiras. Substâncias capazes de inibir as atividades lipolíticas e proteinase do fungo podem ter uso terapêutico em algumas condições patológicas causadas por C. albicans. No presente trabalho, foi testada a influência dos compostos flavonoides apigenina e kaempferol, o alcaloide de indol ibogaína e o alcaloide da protoberberina berberina na atividade enzimática in vitro de C. albicans. As substâncias apresentaram efeitos supressivos complexos em relação aos processos de adesão às células epiteliais, à atividade da proteinase aspartil secretada e à taxa de glicosilação da proteína da parede celular. Apigenina e kaempferol foram administrados em uma infecção sistêmica por C. albicans, demonstrando aumento no número de sobreviventes por kaempferol. A aplicação de apigenina, kaempferol, ibogaína e berberina em infecções cutâneas suprimiu os sintomas e acelerou a eliminação do fungo do local de inoculação. © 2008 NRC Canada.

 

Bagger-Skjøt, L., Sandvang, D., Frimodt-Møller, N., Lester, C.H., Olsen, K.E.P., Porsbo, L.J., Monnet, D.L., Hammerum, A.M.
"Association between antimicrobial resistance and virulence genes in Escherichia coli obtained from blood and faeces"
Scandinavian Journal of Infectious Diseases, 39 (8), pp. 724-727. (2007)

Resumo

Os isolados de Escherichia coli obtidos de fezes (n = 85) e sangue (n = 123) foram testados para suscetibilidade a 17 agentes antimicrobianos, e a presença de 9 genes de virulência foi determinada por PCR. Associações positivas entre várias resistências antimicrobianas e 2 genes VF (iutA e traT) foram encontradas entre os isolados sanguíneos, às vezes entre os isolados fecais.

 

Matharoo-Ball, B., Hughes, C., Lancashire, L., Tooth, D., Ball, G., Creaser, C., Elgasim, M., Rees, R., Layfield, R., Atiomo, W.
"Characterization of biomarkers in Polycystic Ovary Syndrome (PCOS) using multiple distinct proteomic platforms"
Journal of Proteome Research, 6 (8), pp. 3321-3328. (2007)

Resumo

Vários métodos de pré-fracionamento, incluindo uma nova extração em fase sólida com fase reversa (RP-SPE) combinada com SDS-PAGE, e abordagens baseadas em proteômica (por exemplo, eletroforese em gel bidimensional [2DE, em sua sigla em inglês] e espectrometria de massas MALDI-TOF combinada com ferramentas de bioinformática de Rede Neural Artificial [ANN, na sua sigla em inglês]) foram usados para investigar as assinaturas de proteínas/peptídeos em participantes com síndrome de ovário policístico (SOP). Foram identificados quatro potenciais biomarcadores de SOP (complemento C4α3c e C4γ e cadeias α e β de haptoglobina). © 2007 American Chemical Society.

 

Jakobsen, L., Sandvang, D., Jensen, V.F., Seyfarth, A.M., Frimodt-møller, N., Hammerum, A.M.
"Gentamicin susceptibility in Escherichia coli related to the genetic background: Problems with breakpoints"
Clinical Microbiology and Infection, 13 (8), pp. 830-832. (2007)

Resumo

No total, 120 isolados de Escherichia coli positivos para um dos genes de resistência à gentamicina (GENR, na sua sigla em inglês) aac(3)-II, aac(3)-IV ou ant(2")-I foram testados para suscetibilidade à gentamicina pelo método de diluição em ágar. Isolados positivos para aac(3)-IV ou ant(2")-I apresentaram uma distribuição de MIC de 8–64 mg/l, enquanto os isolados positivos para aac(3)-II apresentaram MICs de 32 a >512 mg/l, sugerindo um relação entre a distribuição de MICs e o mecanismo específico de GENR. A distribuição de MIC, independentemente do mecanismo de GENR, foi de 8 a >512 mg/l, o que apoia o ponto de interrupção (breakpoint) clínico de MIC >4 mg/l sugerido por EUCAST e questiona o ponto de interrupção recomendado por CLSI (≥16 mg/l). © 2007 The Authors Journal Compilation © 2007 European Society of Clinical Microbiology and Infectious Diseases.

 

Sharma, H.S., Lundstedt, T., Flärdh, M., Skottner, A., Wiklund, L.
"Neuroprotective effects of melanocortins in CNS injury"
Current Pharmaceutical Design, 13 (19), pp. 1929-1941. (2007)

Resumo

Novos compostos com afinidade para vários receptores de melanocortina foram recentemente identificados como possíveis agentes neuroprotetores. Esta revisão está focada no papel dos efeitos neuroprotetores das melanocortinas nos mecanismos de lesão e reparação do SNC. Usando compostos não peptídicos seletivos com afinidade variável para os receptores de melanocortina, nosso laboratório demonstrou seus efeitos antiedematosos na lesão da medula espinhal. Este efeito dos compostos está relacionado à sua capacidade de atenuar a permeabilidade da barreira hematoencefálica. São discutidos o significado funcional e as possíveis estratégias terapêuticas desses compostos em lesões do SNC. © 2007 Bentham Science Publishers Ltd.

 

Bagger-Skjøt, L., Nielsen, E.M., Sandvang, D., Ethelberg, S., Monnet, D.L., Hammerum, A.M.
"Less frequent Salmonella serovars as a reservoir of antimicrobial resistance [11]"
Journal of Antimicrobial Chemotherapy, 59 (4), pp. 814-815. (2007)

Lobedanz, S., Bokma, E., Symmons, M.F., Koronakis, E., Hughes, C., Koronakis, V.
"A periplasmic coiled-coil interface underlying TolC recruitment and the assembly of bacterial drug efflux pumps"
Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, 104 (11), pp. 4612-4617. (2007)

Resumo

Bactérias como Escherichia coli e Pseudomonas aeruginosa expelem antibióticos e outros inibidores através de bombas de efluxo multifármacos tripartidas que abrangem as membranas interna e externa e o espaço periplásmico interveniente. Um evento essencial na montagem da bomba é o recrutamento de um duto de saída TolC ancorado à membrana externa por meio da proteína adaptadora de uma translocase de membrana interna cognata, estabelecendo um poro de efluxo transenvelopado contíguo. Descrevemos a interação subjacente do duto de saída periplasmático justaposto e das espirais enroladas do adaptador na bomba difundida do tipo RND TolC/AcrAB de E. coli, usando reticulação in vivo para mapear a extensão dos contatos intermoleculares. A reticulação de variantes de cisteína TolC específicas do sítio para os resíduos identificados pelo adaptador de AcrA do tipo selvagem no domínio do barril α-helicoidal inferior de TolC, definindo um agrupamento contíguo próximo da abertura de entrada do duto de saída. Reciprocamente, a reticulação específica do sítio das variantes de cisteína AcrA para o TolC do tipo selvagem identificou a superfície de interação no adaptador dentro da hélice α N-terminal da espiral enrolada AcrA. Os dados experimentais permitiram uma abordagem de ancoragem baseada em dados para modelar a superfície de interação central para a montagem da bomba. O modelo de infraestrutura de baixa energia que satisfaça todas as restrições de distância de reticulação posiciona o adaptador no sulco intramolecular formado pelas hélices de entrada TolC, alinhando a espiral enrolada do adaptador à hélice externa exposta de TolC. Uma característica fundamental deste posicionamento é que ele permite deixar espaço para o movimento proposto da espiral interna de TolC durante a transição ao seu estado aberto. © 2007 by The National Academy of Sciences of the USA.

 

Tobiasen, C., Aahman, J., Ravnholt, K.S., Bjerrum, M.J., Grell, M.N., Giese, H.
"Nonribosomal peptide synthetase (NPS) genes in Fusarium graminearum, F. culmorum and F. pseudograminearium and identification of NPS2 as the producer of ferricrocin"
Current Genetics, 51 (1), pp. 43-58. (2007)

Resumo

Os fungos têm o potencial de produzir uma ampla variedade de metabólitos secundários, incluindo policetídeos e peptídeos pequenos produzidos por peptídeos não ribossomais sintetases (NPS, na sua sigla em inglês). Fusarium graminearum é um microrganismo produtor de micotoxinas de cereais, e o conhecimento do processo de infecção é essencial para o desenvolvimento do controle da doença. A bioinformática fornece um meio para identificar genes que codificam NPSs, cujos produtos podem atuar como fatores de virulência fúngica. A sequência do genoma de F. graminearum foi analisada, e as pesquisas de similaridade e a aplicação do serviço de servidor de predição identificaram 15 genes de NPS putativos. Descobriu-se que NPS1 e PS2 estavam relacionados aos genes envolvidos na biossíntese de sideróforo de hidroxamato de NPS, e a análise química de um mutante de deleção de NPS2 de F. graminearum demonstrou que esse gene codifica o NPS responsável pela biossíntese de ferricrocina. A expressão dos genes de NPS foi analisada em Fusarium culmorum. NPS1 e NPS19 diferiram do resto dos genes porque foram expressos apenas durante a infecção de raízes de cevada, e não nas diferentes condições de cultura testadas. As cepas de F. graminearum, F. culmorum e Fusarium pseudograminearum foram examinadas quanto à presença e expressão dos 15 genes identificados de NPS. Com exceção do NPS18, que está ausente em F. pseudograminearum, todos os genes de NPS estão representados nas diferentes espécies. A ausência de transcrições de alguns genes e a presença de frameshift (deslocamento do quadro de leitura) e códons de parada em quatro dos genes de NPS na cepa sequenciada de F. graminearum sugerem que alguns são pseudogenes. © Springer-Verlag 2006.

 

Wang, Y.-S., Pi, L.-Y., Chen, X., Chakrabarty, P.K., Jiang, J., De Leon, A.L., Liu, G.-Z., Li, A., Benny, U., Oard, J., Ronald, P.C., Song, W.-Y.
"Rice XA21 binding protein 3 is a ubiquitin ligase required for full Xa21-mediated disease resistance"
Plant Cell, 18 (12), pp. 3635-3646. (2006)

Resumo

XA21 é uma proteína de quinase semelhante ao receptor em arroz (Oryza sativa) que confere resistência entre genes a raças específicas do agente causador da doença bacteriana, Xanthomonas oryzae pv oryzae. Identificamos a proteína de ligação 3 XA21 (XB3), uma E3 ubiquitina ligase, como um substrato para o XA21 Ser e Thr quinase. A interação entre XB3 e o domínio quinase de XA21 foi demonstrada em leveduras e in vitro, e a associação física entre XB3 e XA21 in vivo também foi confirmada por ensaios de coimunoprecipitação. XB3 contém um domínio de repetição de anquirina e um motivo RING Finger que é suficiente para a sua interação com o domínio quinase de XA21 e para a sua atividade de ubiquitina ligase (E3), respectivamente. As plantas transgênicas com expressão reduzida do gene Xb3 estão comprometidas em resistência à raça avirulenta de X. oryzae pv oryzae. Além disso, níveis reduzidos de Xb3 levaram a menores níveis da proteína XA21. Esses resultados indicam que Xb3 é necessário para o acúmulo completo da proteína XA21 e para a resistência mediada por Xa2f. © 2006 American Society of Plant Biologists.

 

Bendifallah, N., Rasmussen, F.W., Zachar, V., Ebbesen, P., Nielsen, P.E., Koppelhus, U.
"Evaluation of cell-penetrating peptides (CPPs) as vehicles for intracellular delivery of antisense peptide nucleic acid (PNA)"
Bioconjugate Chemistry, 17 (3), pp. 750-758. (2006)

Resumo

Os peptídeos de penetração celular (CPPs, na sua sigla em inglês) são caracterizados por sua capacidade de internalização em células de mamíferos. Para investigar a potência relativa dos CPPs como transportadores de carga medicinal relevante, foi utilizado um ensaio de leitura positivo baseado na capacidade de um oligômero de ácido nucleico peptídico (PNA, na sua sigla em inglês) para promover a expressão correta de um gene de luciferase recombinante. Seis CPPs diferentes foram incluídos no estudo: transportana, oligo-arginina (R7-9), pTat, penetratina, KFF, SynB3 e NLS. Os conjugados CPP-PNA foram sintetizados por diferentes reações químicas de conjugação: síntese contínua, acoplamento de maleimida e ligação éster ou dissulfureto. Sob condições livres de soro, PNA-SS-Transportanamida (orto)-PNA foi considerado o conjugado mais potente, resultando em sinal de luciferase máximo a uma concentração de 1–2 μM. (D-Arg) 9-PNA demonstrou eficácia ideal a 5 μM, mas deu origem a apenas um terço do sinal de luciferase obtido com o conjugado de transportana. Os conjugados de pTat e KFF-PNA exibiram eficácia significativamente menor. Os conjugados de penetratina, SynB3 e NLS-PNA exibiram atividade mínima ou ausência de atividade. Verificou-se que o soro teve um impacto drasticamente negativo na captação celular dirigida por CPP. O ácido PNA-SS-Transportana (orto) e (D-Arg) 9-PNA foram menos sensíveis à presença de soro. Tanto a natureza química quanto, no caso de transportana, a posição do acoplamento peptídico PNA, tiveram um grande impacto na capacidade de transporte dos peptídeos. No entanto, nenhuma relação simples entre o tipo de vinculador e a atividade antissentido dos conjugados pôde ser deduzida dos dados. © 2006 American Chemical Society.

 

Rasmussen, F.W., Bendifallah, N., Zachar, V., Shiraishi, T., Fink, T., Ebbesen, P., Nielsen, P.E., Koppelhus, U.
"Evaluation of transfection protocols for unmodified and modified peptide nucleic acid (PNA) oligomers"
Oligonucleotides, 16 (1), pp. 43-57. (2006)

Resumo

Comparamos a eficácia de diferentes protocolos de transfecção relatados para oligômeros de ácido nucleico peptídico (PNA). Foi obtida uma avaliação precisa da eficácia da absorção utilizando um ensaio de leitura positivo com base na capacidade de um oligômero de PNA de corrigir a emenda aberrante de um gene de luciferase recombinante. O estudo compreendeu a transfecção de PNA conjugado com acridina, adamantilo, ácido decanoico e porfirina (acr-PNA, ada-PNA, deca-PNA e por-ARN, respectivamente) e PNA não modificado parcialmente hibridizado a um oligômero de DNA (cotransfecção de PNA/DNA). Além disso, o efeito da conjugação com um sinal de localização nuclear (NLS, na sua sigla em inglês) foi avaliado como parte do protocolo de cotransfecção de PNA/DNA. A transfecção dos PNAs testados foi sistematicamente otimizada. Descobriu-se que a cotransfecção de PNA/DNA produz a maior atividade de luciferase, mas somente após a seleção cuidadosa do oligonucleotídeo de DNA. Tanto um lipídio catiônico, Lipofectamine, quanto um polímero catiônico não lipossômico, polietilenimina (PEI, ExGen 500), foram reagentes de transfecção eficientes para o complexo PNA/DNA. No entanto, Lipofectamine, em contraste com PEI, apresentou efeitos colaterais graves, como citotoxicidade. acr-PNA, ada-PNA e por-PNA foram transferíveis com eficiências entre 5 e 10 vezes menores do que a observada com a cotransfecção de PNA/DNA. A conjugação de PNA com NLS não teve efeito sobre a eficácia da cotransfecção de PNA/DNA. Uma lição importante do estudo foi a descoberta de que, devido a variações biológicas incontroláveis, mesmo as condições ótimas de transfecção diferiram de uma certa extensão entre os experimentos de forma imprevisível. © Mary Ann Liebert, Inc.

 

Sharma, H.S., Skottner, A., Lundstedt, T., Flärdh, M., Wiklund, L.
"Neuroprotective effects of melanocortins in experimental spinal cord injury. An experimental study in the rat using topical application of compounds with varying affinity to melanocortin receptors"
Journal of Neural Transmission, 113 (4), pp. 463-476. (2006)

Resumo

A possibilidade da administração local de compostos não peptídicos de baixo peso molecular com afinidades variadas nos receptores de melanocortina na medula espinhal de influenciar o desfecho fisiopatológico da lesão medular (SCI, na sua sigla em inglês) foi examinada em um modelo de rato. Cinco novos compostos: Melacure ME10092, ME10354, ME10393, ME10431 e ME10501 foram utilizados nesta investigação. Cada composto foi dissolvido em soro fisiológico e testado em 3 doses diferentes, isto é, 1 μg, 5 μg e 10 μg da dose total em 10 μl aplicado topicamente 5 min após SCI. Os animais foram deixados vivos por 5 horas, e a formação de edema induzido por trauma, a ruptura da barreira hematoencefálica (BSCB, na sua sigla em inglês) e as lesões celulares foram examinadas e comparadas com ratos feridos não tratados. Um SCI focal infligido por uma incisão no corno dorsal direito dos segmentos T10-11 resultou em formação de edema marcada, ruptura da BSCB à albumina azul de Evans e causou lesão profunda das células nervosas nos segmentos T9 e T12. A aplicação tópica de ME10501 (um composto com alta afinidade na melanocortina, receptores MC-4) em altas doses (10 μg) resultou em neuroproteção mais marcada nos segmentos perifocais da medula espinhal (T9 e T12). Por outro lado, apenas um efeito leve ou ausente na patologia da medula espinhal foi observado nos animais traumatizados que receberam ME10092, ME10354, ME10393 e ME10431 em 3 doses diferentes. Essas observações sugerem que compostos não peptídicos com afinidade variável para os receptores de melanocortina são capazes de influenciar a fisiopatologia de SCI. Além disso, os compostos que atuam na melanocortina, receptores de MCR4, são capazes de induzir neuroproteção na medula espinhal após trauma. © Springer-Verlag 2006.

 

Jepsen, J.R., Laursen, L.H., Hagert, C.-G., Kreiner, S., Larsen, A.I.
"Diagnostic accuracy of the neurological upper limb examination II: Relation to symptoms of patterns of findings"
BMC Neurology, 6, art. no. 10, . (2006)

Resumo

Contexto: em uma amostra de pacientes em medicina ocupacional clínica, demonstramos que um exame neurológico dos membros superiores pode identificar de forma confiável padrões de achados sugestivos de neuropatias focais do membro superior. Este estudo adicional teve como objetivo abordar a precisão diagnóstica do exame. Métodos: 82 membros foram avaliados semiquantitativamente por dois examinadores em caráter cego (força em 14 músculos individuais, sensibilidade em 7 territórios homônimos e mecanossensibilidade em 10 locais ao longo dos nervos). Com base na topografia dos nervos e em sua inervação muscular e sensorial, definimos 10 padrões neurológicos, cada um sugestivo de uma afecção nervosa localizada. As informações sobre queixas (dor, fraqueza e/ou entorpecimento/formigamento) coletadas por outros serviram como referência para comparação. A relação entre a presença de padrão(ões) e queixas foi avaliada por estatísticas κ. A sensibilidade, a especificidade e os valores preditivos positivos/negativos foram calculados, e as probabilidades de pré-teste foram comparados com a probabilidade pós-teste. Resultados: os dois examinadores identificaram o(s) padrão(s) sugestivo(s) de neuropatia focal em 34/36 de 38 membros sintomáticos, respectivamente (κ = 0,70/0,75), com concordância em 28 membros. Dos 44 membros não sintomáticos, os examinadores concordaram com a ausência de qualquer padrão em 38 membros. Com a concordância entre os examinadores em relação à presença ou ausência de qualquer padrão, a sensibilidade, a especificidade, os valores preditivos positivos e negativos foram de 0,73; 0,86; 0,93 e 0,90, respectivamente. Embora as probabilidades pré-teste para um membro ser sintomático tenham se elevado para 0,46, a probabilidade pós-teste foi de 0,81. Para cada examinador, a probabilidade pós-teste foi de 0,87 e 0,88, respectivamente. Conclusão: a confiança diagnóstica melhorada é uma indicação de um aspecto da validade de construção do exame físico. Para a determinação da viabilidade clínica do exame, são necessários mais estudos, principalmente 1) estudos de validade por meio de comparação com referências adicionais e 2) estudos sobre o benefício potencial que pode ser obtido de seu uso. © 2006 Jepsen et al; licensee BioMed Central Ltd.

 

Jepsen, J.R., Laursen, L.H., Hagert, C.-G., Kreiner, S., Larsen, A.I.
"Diagnostic accuracy of the neurological upper limb examination I: Inter-rater reproducibility of selected findings and patterns"
BMC Neurology, 6, art. no. 8, . (2006)

Resumo

Contexto: avaliamos previamente a reprodutibilidade dos testes manuais de força em 14 músculos individuais do membro superior em participantes com ou sem queixa dos membros superiores. Essa investigação teve como objetivo estudar os distúrbios sensoriais, a mecanossensibilidade dos troncos nervosos e a ocorrência de achados físicos em padrões que podem potencialmente refletir uma neuropatia periférica. A reprodutibilidade desta parte do exame neurológico nunca foi relatada. Métodos: dois examinadores em caráter cego realizaram uma avaliação semiquantitativa de 82 membros superiores (força em 14 músculos individuais, sensibilidade em 7 territórios homônimos e mecanossensibilidade dos nervos em 10 locais). Com base na topografia dos nervos e em sua inervação muscular e cutânea, definimos 10 padrões neurológicos, cada um sugestivo de uma neuropatia focal. Os padrões e resultados individuais identificados pelos dois examinadores foram comparados. Resultados: a força, a sensibilidade ao toque, a dor e vibrações e a mecanossensibilidade foram predominantemente avaliadas com reprodutibilidade moderada à muito boa (valores κ médios de 0,54; 0,69; 0,48; 0,58 e 0,53, respectivamente). A reprodutibilidade dos padrões definidos foi justa à excelente (coeficiente de correlação mediana = 0,75), e a identificação geral de membros com/sem padrão(s) foi boa (κ = 0,75). Conclusão: esta primeira parte de um estudo sobre a precisão diagnóstica de um exame neurológico seletivo demonstrou uma reprodutibilidade interavaliador promissora de padrões e itens neurológicos individuais. A generalização e a viabilidade clínica exigem documentação adicional: 1) Reprodutibilidade em coortes de outra composição, 2) validade em comparação com padrões atualmente aplicados e 3) potenciais benefícios que podem ser obtidos pelo exame. © 2006 Jepsen et al; licensee BioMed Central Ltd.

 

Yordanov, M., Dimitrova, P., Patkar, S., Falcocchio, S., Xoxi, E., Saso, L., Ivanovska, N.
"Ibogaine reduces organ colonization in murine systemic and gastrointestinal Candida albicans infections"
Journal of Medical Microbiology, 54 (7), pp. 647-653. (2005)

Resumo

No presente estudo, investigou-se o efeito do alcaloide indol ibogaína sobre a atividade lipolítica in vitro e a adesão a células epiteliais de Candida albicans. A substância foi administrada via intraperitoneal a uma dose de 5 mg kg-1 dia-1 em camundongos com infecções disseminadas e gastrointestinais por C. albicans. A ibogaína reduziu significativamente a taxa de mortalidade e o número de UFC de C. albicans recuperadas do rim, fígado e baço. A ibogaína interferiu nos estágios iniciais das infecções disseminadas e gastrointestinais por C. albicans, mas não reduziu o número de UFC de C. albicans nos órgãos na fase tardia das infecções. O desenvolvimento de uma resposta imune específica não foi influenciado pela ibogaína, uma vez que a reação de hipersensibilidade do tipo retardado a C. albicans e a produção de interferon (IFN) γ foram semelhantes nos camundongos tratados com ibogaína e controle. O uso combinado de anfotericina B mais ibogaína no tratamento de camundongos com infecção gastrointestinal reduziu a colonização de órgãos com maior intensidade do que cada substância isolada. © 2005 SGM.

 

Young, P.J., Newman, A., Jensen, K.T., Burger, L.R., Pintel, D.J., Lorson, C.L.
"Minute virus of mice small non-structural protein NS2 localizes within, but is not required for the formation of, Smn-associated autonomous parvovirus-associated replication bodies"
Journal of General Virology, 86 (4), pp. 1009-1014. (2005)

Resumo

As proteínas não estruturais NS1 e NS2 do vírus minuto do camundongo (MVM, na sua sigla em inglês) parvovírus são necessárias para uma replicação viral eficiente. Já foi demonstrado que NS1 e NS2 interagem e colocalizam com o produto do gene de sobrevivência do neurônio motor (Smn, na sua sigla em inglês) em novas estruturas nucleares que são formadas tardiamente na infecção, denominadas corpos de APAR (replicação autônoma associada ao parvovírus) associados à Smn (SAABs, na sua sigla em inglês). Não está claro qual(is) intermediário(s) viral(is) molecular(es) contribui(em) para a formação de SAAB. Os resultados atuais abordam o papel do NS2 na formação de SAAB. Na infecção por MVM de tipo selvagem altamente sincronizada de células A92L murinas, o NS2 colocaliza com Smn e outros constituintes de SAAB. Um MVM mutante que não produz NS2 ainda gera SAABS, embora com atraso temporal. O atraso na formação de SAAB observado na ausência de NS2 provavelmente está relacionado ao atraso temporal na replicação do vírus, sugerindo que, enquanto o NS2 é necessário para uma infecção viral eficiente, ele é dispensável para a formação de SAAB. © 2005 SGM.

 

Hansen, E.H., Schäfer, T., Molin, S., Gram, L.
"Effect of environmental and physiological factors on the antibacterial activity of Curvularia haloperoxidase system against Escherichia coli"
Journal of Applied Microbiology, 98 (3), pp. 581-588. (2005)

Resumo

Objetivos: o objetivo deste estudo foi investigar a influência de fatores ambientais e fisiológicos na suscetibilidade de Escherichia coli ao sistema Curvularia haloperoxidase. Métodos e resultados: o sistema Curvularia haloperoxidase é um sistema enzimático inovador que produz espécies reativas de oxigênio que têm efeito antimicrobiano. Escherichia coli MG1655 foi exposta ao sistema Curvularia haloperoxidase sob diferentes temperaturas e concentrações de NaCl e após exposição a diferentes fatores de estresse. A temperatura afetou claramente a atividade enzimática com o aumento do efeito antibacteriano mediante aumento da temperatura. A presença de NaCl interferiu com o sistema enzimático, e, na presença de NaCl a 1%, nenhum efeito antibacteriano pôde ser observado no pH 7. As células cultivadas em pH 8,0 foram, em um experimento, mais resistentes do que as células cultivadas em pH 6,5, ao passo que as células cultivadas na presença de NaCl a 2% foram mais suscetíveis ao sistema Curvularia haloperoxidase. Conclusões: fatores ambientais e fisiológicos podem afetar a atividade antibacteriana do sistema Curvularia haloperoxidase. Importância e impacto do estudo: o estudo demonstra uma abordagem sistemática na avaliação do efeito de fatores ambientais e fisiológicos sobre a suscetibilidade microbiana aos biocidas. Essas informações são cruciais para a previsão de aplicação, bem como potenciais efeitos colaterais. © 2004 The Society for Applied Microbiology.

 

Ferrer, M., Soliveri, J., Plou, F.J., López-Cortés, N., Reyes-Duarte, D., Christensen, M., Copa-Patiño, J.L., Ballesteros, A.
"Synthesis of sugar esters in solvent mixtures by lipases from Thermomyces lanuginosus and Candida antarctica B, and their antimicrobial properties"
Enzyme and Microbial Technology, 36 (4), pp. 391-398. (2005)

Resumo

As lipases de Thermomyces lanuginosus (imobilizada por granulação com sílica) e Candida antarctica B (adsorvida em Lewatit, "Novozym 435") foram comparativamente testadas para a síntese de ésteres de açúcar por transesterificação de açúcares com ésteres vinílicos de ácidos graxos em misturas de 2-metil-2-butanol:dimetilssulfóxido. Descobrimos que a lipase da C. antarctica B é particularmente útil para a preparação de 6,6'-di-acil-sacarose, enquanto a lipase de T. lanuginosus catalisa seletivamente a síntese de 6-O-acil-sacarose. A lipase de T. lanuginosus granulada manteve mais de 80% de sua atividade inicial após 20 ciclos de 6 horas. Ambas as lipases foram igualmente eficazes para a síntese regiosseletiva de 6'-O-palmitoilmaltose e 6-O-lauroilglicose. O efeito dos ésteres de açúcar sintetizados no crescimento em meio líquido de vários microrganismos (gram-positivos, gram-negativos e leveduras) foi avaliado. 6-O-lauroil-sacarose e 6'-O-lauroilmaltose inibiram o crescimento de Bacillus sp. a uma concentração de 0,8 mg/ml e de Lactobacillus plantarum a 4 mg/ml. Dilauratos de sacarose e 6-O-lauroilglicose não exibiram atividade antimicrobiana, provavelmente devido à sua baixa solubilidade aquosa. Em relação à inibição de leveduras, nenhum dos ésteres de carboidratos testados inibiu significativamente o crescimento de Zygosaccharomyces Rouxii e Pichia jadinii. © 2004 Elsevier Inc. Todos os direitos reservados.

 

Jakobsen, C.G., Bodtger, U., Poulsen, L.K., Roggen, E.L.
"Vaccination for birch pollen allergy: Comparison of the affinities of specific immunoglobulins E, G1 and G4 measured by surface plasmon resonance"
Clinical and Experimental Allergy, 35 (2), pp. 193-198. (2005)

Resumo

Contexto: a imunoterapia específica com alérgenos (SIT, na sua sigla em inglês) está associada a níveis elevados de IgG específicos de alérgenos no soro. No entanto, não está claro até que ponto as alterações qualitativas na capacidade de ligação ao alérgeno da IgG também podem ser induzidas. Objetivo: o objetivo deste estudo foi investigar as influências da SIT sobre a afinidade dos anticorpos. Métodos: a afinidade de ligação de IgG1, IgG4 e IgE séricas purificadas ao principal alérgeno no pólen de vidoeiro (Betula verrucosa), Bet v 1, foi analisada por ressonância plasmon de superfície. Os anticorpos foram obtidos de 10 participantes com alergia ao pólen de vidoeiro que receberam SIT e de 10 participantes sem SIT. Resultados: os participantes que receberam SIT têm um título significativamente maior de anticorpos anti-Bet v 1 no sangue, mas a afinidade a Bet v 1 de IgE, IgG1 e IgG4 específicos para alérgenos não diferiu entre os dois grupos. Para IgG1 e IgG4, as correlações entre menos sintomas alérgicos e afinidade dos anticorpos foram observadas tanto no grupo SIT quanto no grupo sem SIT (em menor extensão). Conclusão: SIT não tem efeito sobre a afinidade de anticorpo de IgE, IgG1 ou IgG4 específicas para alérgenos. Participantes alérgicos com anticorpos IgG1 e IgG4 de alta afinidade relatam menos sintomas do que os participantes com anticorpos de baixa afinidade. © 2005 Blackwell Publishing Ltd.

 

Schiött, Å., Lindstedt, M., Johansson-Lindbom, B., Roggen, E., Borrebaeck, C.A.K.
"CD27- CD4+ memory T cells define a differentiated memory population at both the functional and transcriptional levels"
Immunology, 113 (3), pp. 363-370. (2004)

Resumo

A população de células T de memória é uma população heterogênea, incluindo ambas as células efetoras, que exercem uma resposta imune secundária direta, e as células de repouso ou intermediárias, que servem de reservatório e exercem uma possível função reguladora. Para dissecar ainda mais a população de células T que residem no grupo de células T CD4+ CD45RO+, estudamos as propriedades funcionais das populações de memória identificadas pelo marcador CD27. Este marcador claramente divide a população de memória em dois grupos. Um grupo consiste em células efetoras que não possuem CD27 e que apresentam uma alta resposta ao recall de antígenos. O outro grupo é composto por uma população de memória intermediária, exibindo CD27. Esse último grupo não possui uma resposta de recall de antígeno e requer coestimulação para desencadear o receptor de células T. Para avaliar a função do conjunto de memória CD27+, analisamos o perfil transcricional, utilizando tecnologia de microarranjos de alta densidade. Esses dados genéticos apoiam fortemente os diferentes perfis funcionais das populações de memória CD27+ e CD27+ em termos de expressão proteica e capacidade de resposta ao antígeno.

 

Da Silva, F.G., Shen, Y., Dardick, C., Burdman, S., Yadav, R.C., De Leon, A.L., Ronald, P.C.
"Bacterial genes involved in type I secretion and sulfation are required to elicit the rice Xa21-mediated innate immune response"
Molecular Plant-Microbe Interactions, 17 (6), pp. 593-601. (2004)

Resumo

A imunidade inata aos microrganismos baseia-se na detecção específica de moléculas associadas aos patógenos pelos receptores de reconhecimento do hospedeiro. Considerando que os estudos em animais se concentraram em grande parte no reconhecimento de moléculas associadas ao patógeno extracelular pela superfamília do TLR (receptor do tipo Toll), poucos estudos foram realizados em plantas e não se entende como essas moléculas são secretadas ou modificadas. O gene Xa21 de arroz codifica uma quinase do tipo receptor que fornece imunidade contra cepas do patógeno bacteriano Xanthomonas oryzae pv. oryzae portador da atividade AvrXa21. Identificamos quatro genes de X. oryzae pv. oryzae que são necessários para a atividade AvrXa21. raxA, raxB e raxC codificam proteínas com similaridade a uma proteína de fusão de membrana, um transportador de cassete de ligação de ATP e uma proteína de membrana externa, respectivamente, dos sistemas de secreção bacterianos do tipo I. O quarto gene, raxST, codifica uma proteína semelhante à sulfotransferase. A análise de sequência de três cepas de X. oryzae pv. oryzae de ocorrência natural não reconhecidas por Xa21 revelaram alterações nos genes raxST e raxA. O gene raxC complementou um mutante tolC de Escherichia coli para secreção de um peptídeo tipo dupla-glicina, confirmando a função de raxC na secreção do tipo I. Esses resultados indicam que a secreção bacteriana do tipo I é necessária para o reconhecimento e a imunidade mediados por Xa21 e sugere ainda que a modificação e a secreção do tipo I de moléculas associadas a patógenos desempenham um papel importante no desencadeamento da resposta imune inata no arroz.

 

Rung, J.H., Draborg, H.H., Jørgensen, K., Nielsen, T.H.
"Carbon partitioning in leaves and tubers of transgenic potato plants with reduced activity of fructose-6-phosphate,2-kinase/fructose-2,6-bisphosphatase"
Physiologia Plantarum, 121 (2), pp. 204-214. (2004)

Resumo

O papel da frutose-2,6-bisfosfato (Fru-2,6-P2) na regulação do metabolismo do carbono foi investigado em plantas de batata transgênica (Solanum tuberosum L.cv Dianella) transformadas com um vetor contendo uma sequência de cDNA que codifica frutose-6-fosfato, 2-quinase (F6P, 2-K, EC 2.7.1.105)/frutose-2,6-bisfosfatase (F26BPase, EC 3.1.3.46) na direção sentido e antissentido por trás de um promotor CaMV 35S. A atividade de F6P, 2-K nas folhas diminuiu para 5% da atividade do tipo selvagem (WT, na sua sigla em inglês), e o nível de Fru-2,6-P2 diminuiu nas folhas (10% do nível de WT) e nos tubérculos (40% do nível de WT). A análise do metabolismo fotossintético de 14CO2 demonstrou que, em linhagens de plantas com nível de Fru-2,6-P2 reduzido, a divisão de carbono nas folhas foi alterada em favor da biossíntese de sacarose, e a relação de rotulagem de açúcares solúveis com amido dobrou. Os níveis de açúcares solúveis e fosfatos de hexose também aumentaram nas folhas das plantas transgênicas. Mais notavelmente, os níveis de hexoses aumentaram de quatro a seis vezes nas plantas transgênicas. Em tubérculos com níveis reduzidos de Fru-2,6-P2, foram observados apenas efeitos secundários nos níveis de carboidratos. Além disso, a assimilação de carbono em discos de tubérculos fornecidos com [U-14C]-sacarose exibiu apenas um aumento moderado na rotulagem de hexoses e diminuição de amido. Resultados semelhantes foram obtidos usando [U-14C]-glicose. Não foram observadas diferenças no crescimento das linhagens transgênicas e WT. Nossos dados fornecem evidências de que Fru-2,6-P2 é um fator importante na regulação do metabolismo do carbono fotossintético nas folhas de batata, enquanto a influência direta de Fru-2,6-P2 no metabolismo do tubérculo foi limitada.

 

Nilsson, L., Ng, Y.Y., Christiansen, J.N., Jørgensen, B.L., Grótinum, D., Gram, L.
"The contribution of bacteriocin to inhibition of Listeria monocytogenes by Carnobacterium piscicola strains in cold-smoked salmon systems"
Journal of Applied Microbiology, 96 (1), pp. 133-143. (2004)

Resumo

Objetivos: estudar a importância da produção de bacteriocina para o efeito antilisterial de uma cepa bacteriocinogênica Carnobacterium piscicola A9b sobre o crescimento de Listeria monocytogenes em sistemas de salmão defumado a frio e caldo. Métodos e resultados: o tratamento da cepa A9b com acriflavina resultou em perda de produção de bacteriocina e de imunidade à carnobacteriocina B2. Dois plasmídeos presentes no tipo selvagem foram perdidos na variante que também era mais sensível à bavaricina e à leucocina A do que o tipo selvagem, indicando resistência cruzada às bacteriocinas de classe IIa. A taxa de crescimento do mutante bac foi superior à do tipo selvagem a 5 e 37 ºC, mas não a 25 ou 30 °C. No suco de salmão, a densidade celular máxima de L. monocytogenes foi suprimida 3 e 6 log por cocultura com C. piscicola A9b bac- e bac+, respectivamente, em comparação com o controle. As culturas filtradas esterilizadas de C. piscicola A9b bac- causaram uma supressão limitada da densidade celular máxima de L. monocytogenes semelhante à observada quando o tampão estéril foi adicionado em quantidades iguais. A carnobacteriocina B2 semipurificada causou um declínio de 3,5 log na contagem de células viáveis após 6 dias de incubação em suco de salmão defumado a frio a 5 °C. O nível de resistência elevado à carnobacitocinose B2 foi observado para células de L. monocytogenes expostas a uma carnobacteriocina B2 semipurificada e produzida in situ. Conclusões: a presença de produção de bacteriocina em C. piscicola aumenta sua inibição de L. monocytogenes. Significado e impacto do estudo: devido ao surgimento de resistência, bactérias ácido-láticas bacteriocinas negativas podem ser mais adequadas para uso prático como agente bioprotetor contra L. monocytogenes em alimentos prontos para consumo.

 

Stonebraker, J.S., Amand, R.E., Bauman, M.V., Nagle, A.J., Larson, P.J.
"Modelling haemophilia epidemiology and treatment modalities to estimate the unconstrained factor VIII demand"
Haemophilia, 10 (1), pp. 18-26. (2004)

Resumo

O artigo apresenta um novo método para estimar a demanda sem restrições do fator VIII (FVIII) com base nos princípios da análise de decisão. As modalidades de epidemiologia e tratamento foram integradas em um modelo de demanda de FVIII sem restrições. Os pressupostos para cada variável com impacto na demanda de FVIII sem restrições foram definidos e as estimativas de probabilidade para essas variáveis foram obtidas da literatura e de especialistas médicos. A sensibilidade da demanda de FVIII sem restrições a cada uma das variáveis foi determinada, e as variáveis com maior impacto foram modeladas de forma probabilística. A média ponderada de probabilidade para o modelo de demanda FVIII sem restrições foi de 6,9 unidades per capita com um intervalo de incerteza de 90% de 2,7–13,6 unidades per capita. Quando comparado com o uso de FVIII nos países, apenas o uso do FVIII por Luxemburgo (7,7 unidades per capita) excedeu a média ponderada de probabilidade para a demanda de FVIII sem restrições modelada. À medida que melhores informações estiverem disponíveis, a revisão das variáveis do modelo será facilmente realizada, permitindo uma previsão mais precisa e dinâmica da demanda ao longo do tempo. Um modelo mais preciso da "verdadeira" demanda longitudinalmente deve ajudar a evitar a falta de concentrados de FVIII, como os que ocorreram no passado. Além disso, uma previsão mais precisa da demanda de FVIII permitirá que os decisores políticos nacionais de cuidados de saúde aloquem recursos financeiros e outros. O fornecimento suficiente e consistente de concentrados de FVIII e o financiamento apropriado do cuidado da hemofilia permitirão benefícios clínicos de regimes de tratamento mais agressivos, como a profilaxia a ser realizada.